Uma escolha interdisciplinar

Atualizado: 4 de Mai de 2018

Novembro 20, 2017 |André Eduardo dos Santos Filho


Convergência de diferentes saberes, voltados para a análise de um determinado objeto. Eis a definição geral de interdisciplinaridade, conceito que me acompanhou nos últimos dois anos devido a minha inserção na pesquisa acadêmica em Publicidade e Propaganda, que envolvem Iniciação Científica e Trabalho de Conclusão de Curso. Porém, após esse período voltado a estudá-lo, acabo por ver analogias que vão além dessas histórias.


  Minha trajetória como estudante-pesquisador começou em 2009, quando fazia bacharelado em Direito. Nunca soube explicar o que me atraía na área jurídica - talvez, na verdade, nunca tenha me atraído - mas realizar pesquisas é algo que sempre me interessou, tanto que apresentei uma análise sobre sátira política em um simpósio da área em Ponta Grossa. Não me arrependo de ter dedicado 2 anos e meio ao curso. De alguma forma ele trouxe novos conhecimentos.


     Tranquei Direito em 2011 com um novo curso em mente: Publicidade e Propaganda. A certeza absoluta de ser o curso certo não estava presente, mas a questão do consumo e seus meios de contato com o público me encantava - dá pra ver que sempre fui de muita intuição, sem saber explicar o porquê das coisas. Mas quem não tem dúvidas sobre o que gostaria de “ser na vida”? Um termo um tanto quanto limitador, na verdade. Não precisamos ser apenas uma coisa na vida.


   Em 2013 entrei no curso de Comunicação Social, habilitação em Publicidade e Propaganda, na Universidade Federal do Paraná. Ao contrário de muitos colegas encantados por Criação Publicitária, tive mais apreço por disciplinas como Psicologia do Consumidor, Marketing, Planejamento Estratégico e Redação Publicitária - acredito que elas colaboraram para minha vertente de pesquisador. Ingressei na Iniciação Científica como voluntário no primeiro semestre de 2015, na linha de pesquisa relacionada às Práticas no Ensino de Criação Publicitária.


     Foi na Iniciação Científica que, de fato, senti que estava imerso em um estudo. Iniciamos por assistir aulas na Universidade Positivo, gravá-las e transcrevê-las para, depois analisá-las, conjuntamente aos colegas de IC e ao professor, que trazia outras referências para nossa discussão. O resultado dessa trajetória pode ser visto em alguns artigos que produzimos neste período, como “A inovação e o institucionalizado no ensino de Criação Publicitária: análise comparativas entre IES públicas e IES privadas”, apresentado no Enpecom 2016, e “O (des)equilíbrio no ensino de criação publicitária: entre o institucionalizado e o lúdico”, (para ter acessoclique aqui), no Intercom Sul 2016.qualquer hora a partir do seu telefone sempre que estiver inspirado.


Imagem meramente ilustrativa Fonte: http://www.ensinarhistoriajoelza.com.br/interdisciplinaridade-como-fazer/ *Blog: Joelza Ester Domingues

Poucos estudantes têm interesse em tornar a sala de aula um objeto de estudo, mas muitos criticam o formato das aulas de seus professores - alguns, de fato, parecem “estagnados”. Mas como isso pode ser revertido? Discutindo com o grupo IEP, surgiram algumas respostas: práticas inovadoras de ensino, como a reconfiguração de papéis estabelecidos entre docente e discente, a fuga da mera reprodução do mercado e a interdisciplinaridade. Logicamente, não é algo simples de se mudar. A complexidade permeia esse processo. Há diversos fatores – de ordem objetiva e subjetiva - a serem considerados.


  Procurando novas perspectivas para meu Trabalho de Conclusão de Curso, preservando referenciais estabelecidos e incorporados, realizei uma análise sobre práticas interdisciplinares no ensino de Publicidade e Propaganda. O tema surgiu ao pensar na minha vivência de estudante, ao perceber que as atividades integradas realizadas durante o curso, atividades que uniam duas ou mais disciplinas para um trabalho em comum, pareciam uma estratégia mais contextualizada de se ensinar publicidade.


   Assim nasceu a monografia “A complexidade do saber no ensino: interdisciplinaridade nos cursos de Publicidade e Propaganda - o projeto Inter para ser Multi” (para ter acesso, clique aqui). Nela é apresentada uma análise sobre a formação do publicitário humanista a partir de uma perspectiva docente e discente do projeto interdisciplinar Inter para Ser Multi, aplicado na Unisinos (https://interparasermulti.com/), em São Leopoldo/RS, onde turmas de Letras e Publicidade se unem para criação de produtos audiovisuais.


    Apresentei recentemente, no Intercom Nacional 2017, um recorte do meu trabalho de conclusão, feito a partir da perspectiva discente acerca da interdisciplinaridade (para ter acesso, clique aqui). Provavelmente minha pesquisa sobre o tema vai render outros artigos. Seguir a carreira acadêmica é uma vontade, basta encontrar meu norte. 


    Acredito na interdisciplinaridade mais “visível” nos currículos disciplinares. Minha trajetória profissional vem sendo marcada por tal noção. Trabalhei na redação do jornal Gazeta do Povo e agora estou no setor de programação visual do Sesc Paraná. Podem não parecer áreas similares, mas dialogam e convergem. Sei que elas me tornarão um profissional ainda mais capaz no futuro, seja a área que eu decidir.


    A interdisciplinaridade, como disse uma estudante durante a pesquisa do TCC, é algo natural, se não fosse o ensino. Nosso dia a dia está repleto de referências distintas, que adaptamos para utilizá-las a nossa maneira: seja cozinhando ou conversando com amigos. O método interdisciplinar encontra barreiras para se tornar uma realidade no ensino diante de uma Universidade estanque - por múltiplos fatores apontados em nossos estudos. Ainda assim, identificamos progressos - poder se expressar nesse espaço sobre temática tão relevante já é um avanço.

____________________________________________________________________________

*André Eduardo dos Santos Filho é bacharel em Comunicação Social - habilitação em Publicidade e Propaganda. Recém-formado na Universidade Federal do Paraná, integra o grupo Inovação no Ensino de Publicidade (IEP). Interessado em novas formas de se pensar a publicidade, desde o mercado - em áreas estratégicas como marketing e planejamento - ao ensino, particularmente em relação à institucionalização e às metodologias inovadoras. E-mail: andreesfilho@gmail.com


26 visualizações